sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Viajar


Quando viajamos para um novo destino, acabamos sempre por sentir diferentes sentimentos relativamente ao desconhecido, a ansiedade e ao mesmo tempo o receio e inquietação em relação à descoberta de um mundo novo.
De facto, sempre que viajamos para algum país que nos seja desconhecido, temos sempre aquela curiosidade de conhecer o lugar. Sentimos aquela ansiedade de aprender novas culturas e novos costumes. Sabemos que são diferentes do nosso país e, por isso, temos uma enorme curiosidade de as conhecer. Por exemplo, se neste momento viajássemos para a Índia, certamente, iríamos querer saber a resposta a diferentes questões. Gostaríamos de descobrir o porquê dos seus trajes tradicionais, a razão do uso do bindi.
Mas, por outro lado, enfrentamos sempre um sentimento de medo, de receio, pois afinal não conhecemos nada do destino. Apesar dessa curiosidade, temos sempre aquela pequena noção de perigo, não conhecemos, partimos em busca do desconhecido. Se fossemos viajar para a Turquia, por exemplo, iríamos sentir aquela ansiedade de conhecer a origem das suas tradições mas, apesar disso, iríamos sentir medo, pois sabemos qual a religião dos turcos e daí conhecemos que têm costumes muito próprios e se fizéssemos algo que pudesse, segundo as suas crenças, ser considerado pecado, poderíamos ficar numa situação de perigo.
Assim, podemos concluir, que viajar nos pode despertar sentimentos contraditórios. Pois, por um lado, temos a curiosidade de conhecer o desconhecido, mas, por outro lado, o medo e o receio de enfrentar um mundo novo e completamente diferente daquilo a que estamos habituados.

Este foi o texto que escrevi no meu (primeiro) teste de português, o tema eram os diferentes sentimentos que podemos ter em relação a uma viagem, admito que ao inicio tive um pouco de dificuldade em começar, mas depois de fazer um pequeno esboço mental saiu isto ahahahah. 

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Ser Bissexual! - View

Quinta - feira, 26 de Novembro de 2015
Entrevistador: A Rapariga (Dona do Blog)
Convidado Especial: Heavy Metal Lover do blog † BORN THIS WAY †



Ser Bissexual! - View
By A Rapariga & Heavy Metal Lover


Perguntas como "Quem é?", "Como é?", "Como se sentem?", 
entre outras, vão ser respondidas pelo meu 
convidado especial: Heavy Metal Lover!


A Rapariga - Hey! Bem, faz hoje exatamente 1 ano que te assumiste como bissexual para mim, foi a maior prova de confiança que alguma vez me podias ter dado e deste-me a oportunidade de te fazer todas as perguntas que eu queria. Hoje, quero que voltes a responder, outra vez, a algumas das perguntas que te fiz nessa noite. Mas antes de começar, quero que me respondas... Quem é, para ti, um bissexual?

Heavy Metal Lover - Olá! Bem, para mim, ser bissexual, é algo raro, tu tens mais tendência a gostar apenas de um dos sexos, no entanto, vêem-se muito mais bissexuais por aí do que homossexuais ou lésbicas, o motivo é simples: vergonha. Na sociedade, mesmo fazendo parte da comunidade LGBT, um bissexual vai ser “aceite” muito mais “facilmente” do que um homossexual ou uma lésbica, pois tem aquela “chance” de ser “normal” aos olhos da sociedade, sendo assim, fica muito mais fácil uma pessoa admitir-se bissexual. Para mim, um bissexual, é alguém que realmente gosta dos DOIS sexos, havendo preferências ou não, e dentro da comunidade LGBT, é a orientação mais rara de todas.


A Rapariga - Apesar de, como sabes, eu ser heterossexual, também sempre tive mais ou menos essa ideia. Agora... Como e quando descobriste que eras bi? Qual foi a tua primeira reação?

Heavy Metal Lover - Bem, a minha bissexualidade começou-se a revelar quando eu tinha mais ou menos 12/13 anos, assim como toda a gente, é o inicio da puberdade, o inicio do desejo sexual.
A minha experiência não foi diferente das outras, não demorou muito para que me aparecesse um gajo todo bom á frente do ecrã do meu computador para que eu explodisse de tesão! É aí que tudo começa. A minha reação? Podes não acreditar, a maioria das pessoas entraria em pânico, num sentimento de revolta, de culpa, de tristeza. Eu? Eu vi aquilo como uma fase, uma fase super estranha da pré-adolescência, que anos mais tarde, iria passar, exceto que, como podem ver, não passou, porque isto nunca passa, tu nasces, vives e morres assim. E os dias começaram a ser assim, um dia apetecia-me ver homens, no dia seguinte, talvez mulheres, e continua assim até hoje. Se eu sofri quando vi que isto não ia ter um fim? Não, sempre fui uma pessoa com uma personalidade muito forte e com uma mente muito aberta, isto não me causou muitos problemas, podia ter causado, mas ouve coisas que me ajudaram a evita-los! (Sim, a Lady Gaga foi uma dessas coisas!) Aceitei-me oficialmente bissexual por volta dos 14 anos, e aos 15, assumi-me pela primeira vez!


A Rapariga - A Lady Gaga? Qual foi a importância dela no teu desenvolvimento emocional? 

Heavy Metal Lover - Como podes ver na minha apresentação no meu blog, eu passei por vários problemas na aldeia onde morava, fui tratado de vândalo, fui oprimido por praticamente toda a gente… Mas se queres saber mais sobre isso, é só visitares o meu blog! Acontece que a minha bissexualidade começou-se a revelar mais ou menos na mesma altura, e acho que se a minha bissexualidade me tivesse afetado, eu não teria aguentado lidar com tanta coisa ao mesmo tempo, era demais, eu tinha 12 anos, porra!
A Lady Gaga apareceu na minha vida mal ela se estreou no mundo da musica, já na altura eu via algo nela, algo que me chamava a atenção, seria a bizarrice? O “diferente” ou a “inovação” que existia nela?
Na altura, não contive o meu silêncio sobre gostar muito dela, ainda não era uma paixão, um vicio, mas, agradava-me. Numa vila perto da aldeia onde morava, nunca fui alvo de preconceito por gostar dela, mas onde morava, gozaram-me até dizer chega. Quando fui crescendo, comecei a inventar que tinha deixado de “gostar” dela, enquanto estava cada vez mais viciado nesta cantora que mudou a minha vida.
Quando ela lançou a Biblia, digo, Born This Way, foi…O fim. Apaixonei-me eternamente por esta mulher, as mensagens das musicas, Marry the night que me ensinou a ser um guerreiro, Bad kids que me ajudou a ultrapassar o divorcio dos meus pais, Heavy Metal Lover que me ajudou a ter orgulho dos meus gostos pessoais e do meu estilo, e , Born this way, que me ensinou a ser perfeito á minha maneira. É por isto que eu a amo, ajudou-me, e agora eu ajudo-a a ela, sendo o fã louco e apaixonado que ela merece que eu seja!


A Rapariga - E eu que pensava que era completamente vidrada em Bon Jovi (risos). E tens alguma preferência? Digo, em termos do género... Sentes-te mais atraído por um homem ou por uma mulher? 

Heavy Metal Lover - Bem…Eu…Acho que não, ainda é confuso para mim. Como eu expliquei acima, há dias em que eu acordo com uma vontade enorme de gajos, e outros, acordo com uma vontade enorme de gajas, no entanto, pelo menos onde moro, tenho muito mais facilidade em encontrar gajos, do que gajas. Bizarro, certo? Eu explico. As gajas sempre foram mais puras, antes de passar ao sexo, querem sempre namorar, ou dar umas curtes antes, eu simplesmente não tenho paciência para esperar meses até fazer sexo com ela, certo? Enquanto gajos vais direto ao assunto! (risos) Gajas também mas é MUITO mais raro encontrar, a não ser que sejam putas, mas putas eu não fodo! (risos)
Além de foder gajos ser mais “radical” mais “proibido” aos olhos da sociedade, isso excita-me bastante! (risos) Mas uma cona é uma cona, né?


A Rapariga - E o que é que gostas mais e menos num sexo e noutro?

Heavy Metal Lover - Epá, em relação aos gajos, o que me excita mais neles, é o rabo, adoro um rabo masculino, acho-o muito mais atraente que o rabo das gajas, mesmo sendo ligeiramente “mais seco”, mas quando “estás lá dentro” é completamente diferente! (risos) Também gosto dos músculos, obviamente, a tão especial “tablete” não é essencial para mim, mas uns certos músculos não podem faltar. Gosto do sorriso, também. O que me atrai menos nos gajos eu diria… É difícil, gosto de tudo neles, mas a coisa que me atrai menos são os peitorais.
Em relação ás gajas, o que me excita mais nelas, são os peitos, adoro peitos, amo, amo, amo!
Também adoro as curvas delas, o corpo, são perfeitas! Acho gajas com músculo completamente horrível, mas o corpo é delas, cada um faz o que quer com o seu corpo. Também gosto do facto delas serem “lisinhas” (risos) adoro a sensação. Apesar de adorar homens com pelos, tenho nojo de gajas com pelo. Outra coisa que me atraí é eu ser dominante, enquanto com gajos eu posso escolher, com gajas não tenho escolha! (risos)


A Rapariga - Ui, eu também adoro um bom rabo de homem! Bem, como sabes eu fiquei meia chocada quando te assumiste, quais são as outras pessoas que sabem?

Heavy Metal Lover - Ambos os meus melhores amigos sabem, assim como a minha mãe, e outras pessoas que considero “bons” ou “ótimos” amigos, obviamente não quero dizer nomes.


A Rapariga - A tua mãe sabe?! E como é que lhe contaste? Ela reagiu bem?

Heavy Metal Lover - (risos) É uma historia engraçada! Lá estava eu, em casa, super relaxado, a minha mãe tinha acabado de sair, e, de repente, dá-me aquela vontade enorme de ver porno gay! Abaixo as calças até ao joelho, deitado no sofá, com o pc ao lado, e lá vamos nós!
Depois disto, foi o caos. A porta abre-se, eu só dou um salto gigantesco (Estou até hoje a tentar descobrir como é que eu fiz aquele salto!) e com as calças pelo joelho, partes intimas tapadas, a tentar subir as calças sem que se veja o meu amiguinho, e a olhar para a minha mãe, parada, ali a olhar para mim, com uma cara de quem tivesse entendido o que eu estivesse a fazer, mas ao mesmo tempo a tentar disfarçar, para aliviar o ambiente.
Disse que se tinha esquecido de uma coisa, e eu, fui a correr para o quarto, mas, como sou um burro sem recuperação possível, esqueci-me de fechar a tampa do pc, e adivinhem o que aconteceu? Ela viu o filme! Eu senti-o, quando ela me disse aquele adeus com uma voz super nervosa e stressada, além de ter saído super apressada, eu sabia que ela tinha visto o vídeo, eu… Estava completamente fudido, ou assim pensava. Fiquei a tarde toda a preparar o meu discurso, a tentar encontrar palavras, e, quando ela chegou, não me dirigiu a palavra.
Ficámos assim por uns instantes, eu no sofá da sala, ela na cozinha, a fingir-se ocupada a ler uns jornais. Até que, pronto, começou a dirigir-se a mim, e eu, a tremer e a suar por todos os lados, sabia que era o momento da verdade. Disse-me que tinha visto o vídeo, e pronto, o que restou foi contar-lhe tudo, claro que lhe escondi certas partes, para não a chocar demais! (risos) Mas ela foi super na boa, tirando a parte das perguntas super bizarras que ela me fez. (Ela perguntou-me se eu dava ou levava!)
Mas tenho uma mãe 5* que me aceita como sou, e que só me quer ver feliz, seja com um homem ou uma mulher, e considero-me muito sortudo por isso.


A Rapariga - Really que te esqueces-te de desligar um filme gay? (risos) Wow isso é que é ser discreto! E quanto ao teu pai? Tencionas contar-lhe?

Heavy Metal Lover - O meu pai, é mais complicado. Sei que ele é contra estas coisas, muito contra mesmo, não é homem para me deserdar ou me expulsar de casa como muitos fazem, mas ia-lhe custar muito para aceitar isto. Por isso, sim, quero contar-lhe, mas apenas quando tiver a minha vida bem organizada.


A Rapariga - Pois, compreendo. Mas como é que é a vossa relação?

Heavy Metal Lover - Amo o meu pai, do fundo do coração, mas no fundo, somos pessoas muito diferentes, não é que isso interfira no nosso amor, nem nada disso, mas no fundo chocamos um bocado, não digo discutir, nem nada disso, mas em opiniões, gostos pessoais, chocamos quase sempre.
Exemplo, ele gosta de A, eu gosto de B, ele gosta de cinza, eu gosto de azul, entendes o que eu quero dizer? Mas continuo a amá-lo, é um grande homem, e tudo o que eu e os meus irmãos temos hoje é graças a ele, ele trabalhou muito, sabes.


A Rapariga - Claro e por isso torna-se um pouco mais complicado assumires-te para ele, é compreensível... Mas agora falemos de amores, estás apaixonado por alguém neste momento?

Heavy Metal Lover - Estou! É um rapaz! Lindo, perfeito, pau grande, parei. Não, mas a sério, gosto muito dele!


A Rapariga - E esse rapaz sabe sobre a tua orientação sexual?

Heavy Metal Lover - Sabe. Aliás, já senti o gosto dos lábios dele! (risos) Além de outras coisas...


A Rapariga - Muito bem, ou seja, a vossa relação já é um pouco mais que uma simples amizade... (risos)

Heavy Metal Lover - (risos) Essa ainda é uma pergunta que me deixa a pensar, porque, honestamente, não faço a mínima ideia!


A Rapariga - E quanto a formar uma família? Tencionas casar, ter filhos?

Heavy Metal Lover - Os meus pais, especialmente a minha mãe, quer ter pelo menos um neto, mas eu não seria capaz de “trazer” ao mundo ou adotar uma criança apenas para fazer a minha mãe “contente” porque isso de agradar os pais, de lhes dar a família com os netinhos na mesa de natal, a explodir de felicidade, é muito bonitinho, mas ás vezes esquecemo-nos que a vida é nossa, nós é que devemos ser felizes, e não ser “escravos” para que os outros tenham a felicidade. Por isso, eu já expliquei á minha mãe que tudo vai depender do rumo que a minha vida vai tomar, mas eu NUNCA seria capaz de fazer algo como ter uma criança apenas para agradar aos meus pais, isso, jamais, pois a vida é minha.
Sobre casamento, dúvido muito, ou melhor, não, não mesmo.
Eu não vejo “nada demais” no casamento, para mim é um pedaço de papel, não muda o amor que sentes pela pessoa.
Sim, a separação de bens, etc, ao te casares, só ficas a ganhar, mas não é algo que eu tenha nos meus objetivos de vida.


A Rapariga - Mas o país onde vives permite a adoção por casais homossexuais?

Heavy Metal Lover - No fundo…”Todos” permitem, tu podes simplesmente ir sozinho, adotares a criança, omitires o fato de estares a namorar com alguém do mesmo sexo, e fica tudo bem. O problema são as leis e tal, que honestamente nunca entendi muito bem, por isso não quero falar muito disso. A Suíça permite o casamento homossexual, mas a adoção LEGAL com as leis todas em ordem, ainda não.
Há apenas 2 países que o permitem: a Espanha e Portugal (orgulho ❤)


A Rapariga - Sim! Orgulho! Mas, então como tencionas fazer caso decidas adotar?

Heavy Metal Lover - Se eu adotar, terá que ser aqui, óbvio, pois serei um cidadão suíço.
Bem, espero que (para bem da humanidade) tenhamos evoluído mentalmente, e que daqui a uns 20 anos já seja possível adotar legalmente.


A Rapariga - Acho que todos esperamos! Well, então, agora, para terminar, diz-me... O que dizem os teus olhos?

Heavy Metal Lover - Os meus olhos? Bem…Os meus olhos refletem a minha felicidade e vêem o futuro.
Respeita, para seres respeitado. - Este, é o meu lema de vida!


A Rapariga - Muito bem. Olha, agradeço-te imenso por teres aceito esta entrevista!

Heavy Metal Lover - Quando quiseres , é só pedir!



E assim foi o Post Surpresa que vos tinha prometido, espero que, juntamente com o Heavy Metal Lover, ter-vos ajudado a compreender melhor sobre como é e como lidar com a bissexualidade.
Hope you enjoyed!!

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Lady Gaga - POR TRÁS DO SUICÍDIO


Durante a nossa vida neste mundo, passamos por diversas situações más e até traumatizantes. Somos diariamente expostos a violências físicas e psicológicas, sendo grande parte dessas, praticadas por pessoas que acreditam que determinado indivíduo não se “encaixa” no padrão social que nos é designado antes mesmo de nascermos.

O bullying pode ser definido como: “Forma de violência que, sendo verbal ou física, acontece de modo repetitivo e persistente, sendo direcionada contra um ou mais colegas, caracterizando-se por atingir os mais fracos de modo a intimidar, humilhar ou maltratar os que são alvos dessas agressões.” E este é um problema recorrente na sociedade atual, principalmente quando falamos no âmbito escolar, onde ocorre a maioria dessas práticas violentas.

Essa violência ocorre de diversas formas e pelos mais diversos motivos, como: características físicas, religião, personalidade, orientação sexual, situação financeira, etc. Apesar de tentar entender o motivo da ocorrência desses atos, nunca será possível entender o que leva determinadas pessoas a agredir, fisicamente e psicologicamente, indivíduos por serem apenas o que eles são.

Diversos artistas já confirmaram que foram vítimas de bullying, incluindo a cantora e atriz Lady Gaga, que já desabafou sobre o assunto diversas vezes desde sua ascensão à fama. Uma dessas vezes ocorreu durante a entrevista "Google Goes Gaga", em 2011:

“Bullying é uma coisa que fica com você para o resto da sua vida. Nunca vai embora realmente. Aí você usa palavras como superstar e mais procurada no Google, bilhões de exibições no YouTube, mas eu nunca fui vencedora, eu sempre fui a perdedora. E isso continua comigo. Se agora eu quero me vingar de alguém? Não, eu só quero fazer música!"

(A partir de 2:10)

Gaga, durante apresentação da “The Monster Ball Tour” em 2010, também falou sobre uma das situações pelas quais passou na época em que sofreu bullying:

“Eu geralmente era vítima de muito bullying na escola. Eu estava pensando esses dias sobre coisas que me aconteceram e eu me lembro de uma vez que fui jogada na lata de lixo. Eu fui numa pizzaria na esquina e, sabe, era para ser uma piada, mas esses caras, esses meus 'amigos', eles também eram amigos de umas garotas que já não gostavam muito de mim, então eles disseram: ' Vamos te colocar no lixo que é onde você merece ficar!' Então eles me seguraram pela saia e me colocaram na lata de lixo. Eu me lembro de estar olhando para eles e tentando rir, para agir como se aquilo não me incomodasse, porque eu não queria mostrar nenhum sinal de fraqueza, quando na verdade eu estava segurando as lágrimas tão forte, porque eu estava envergonhada por estar numa lata de lixo. Então, eu só quero dizer a vocês que eu sou a prova viva de que se qualquer um te colocar na porra de uma lata de lixo, você pode sair de lá!”


É impossível não se ficar tocado com as palavras ditas por Gaga. A violência, que ela e milhões de crianças e jovens sofrem todos os dias, é real e deixa cicatrizes profundas para toda a vida. Esse tipo de experiência é extremamente cruel e traumática, são situações ás quais nenhum indivíduo deveria ser submetido, principalmente crianças e jovens, que ainda estão a descobrir sua identidade e a aprender a lidar com as adversidades da vida.

Esse é um dos motivos responsáveis por levar milhares de vítimas a abdicarem da própria vida. O crescimento do número de suicídios é notável. No mundo, de acordo com estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS), no ano de 2014, 800 mil pessoas cometem suicídio, ou seja, aproximadamente, uma pessoa a cada quarenta segundos. No Brasil, o oitavo país com mais números de suicídios, somam-se 11,8 mil casos no ano de 2012. Esses números alertam-nos para a gravidade da situação em que o mundo se encontra atualmente.

Para os Little Monsters o suicídio é um assunto que, infelizmente, os rodeia. Diversos casos de fãs vítimas de bullying e suicídio tornaram-se públicos. Uma das mais emocionantes homenagens já feitas por Lady Gaga aconteceu durante o “iHeart Festival” de 2011, no qual, Gaga dedicou a música "Hair" a um fã, Jamey Rodemeyer de 14 anos, que depois de passar muito tempo a sofrer bullying, infelizmente, decidiu desistir. Essa homenagem tocou - e toca até hoje - o coração de todos os Little Monsters pelo mundo fora, é impossível não se ficar arrepiado e emocionar-se do começo ao fim da música. Também é impossível não lamentar pela morte de um que, mesmo sendo tão jovem, sofreu tamanha violência.


Outro caso, bastante notório, foi o de um fã brasileiro que publicou uma despedida na rede social “Little Monsters” e Gaga, sempre muito presente na vida dos fãs, comentou a publicação e impediu que o fã se suicidasse, no comentário, ela escreveu: “Não. Não. Não. Não se atreva! Olhe para esse lindo rosto. Toda a tristeza pode mudar, mas você tem que trabalhar nisso. Fale com aqueles que te apoiam e fique com a gente nesse site. Nós PRECISAMOS de você. Eu preciso de você. Sem você, eu iria perder uma parte do meu coração. Eu te amo, bebê ‘Monster’. Algumas pessoas não tem compaixão, não se sinta mal, se sinta mal por eles.”

Um facto bastante importante e que deve ser lembrado por todas as pessoas que estão numa situação difícil e que pensam no suicídio como a melhor saída é: vocês nunca estão sozinhos. Por mais difícil que seja acreditar nisso, saibam que sempre haverá alguém, amigo ou familiar, disposto a ajudar e dar o apoio necessário para que possas continuar seguindo adiante.

A vida é o dom mais especial e poderoso do mundo. Todos nós, sem exceção, merecemos desfrutar desse dom, mesmo que às vezes pareça impossível tal feito. Todos possuem o direito à vida, ninguém e nada pode privar outro ser do prazer a esse direito universal. Quando o caminho parecer muito difícil, lembra-te que, não importa a gravidade da situação, cada indivíduo tem a força necessária para passar por todos os obstáculos que, por ventura, apareçam. Entretanto, não é necessário passar por eles sozinho, pede ajuda, sempre que achares que não podes sozinho, alguém ficará feliz em andar junto contigo.

Por fim, tenta ao máximo não te importares com críticas e pressões impostas pelas pessoas que te rodeiam. Somos diferentes, isto nunca mudará. Aceita a tua diferença, abraça o teu verdadeiro eu, ama-te acima de tudo. Nunca te escondas, nunca desistas. Faz com que todas as frustrações, críticas e atos violentos se transformem em lições para que te tornes cada vez mais forte. Preconceitos nunca serão superiores ao amor próprio e à confiança.

Reconheces um pedido de ajuda??



Tentei adaptar ao máximo para o português de Portugal, mas pode ter-me escapado algo, por isso se isso tiver acontecido peço desculpa. 
Aproveito para vos dizer que já estou a preparar o Post Surpresa que, em principio, irá ser publicado quinta-feira, caso não haja contratempos. Dou-vos uma pista: vai ter a participação especial de um amigo meu do blogger! (Aliás foi ele que me passou o site de onde copiei o post...)

sábado, 14 de novembro de 2015

A crise

No que respeita à crise, Portugal faz parte do grupo de países que mais dificuldades económicas tem enfrentado nos últimos anos, o que fez com que o país entrasse num estado de descrença e de cansaço.
Por um lado, temos uma situação de crise em que se torna quase impossível pagar as despesas básicas, isto é, pagar as contas como a da água e da luz, tudo se tornou num autêntico sacrifício. Com os cortes nas pensões e nos vencimentos dos funcionários públicos, é necessário cada vez mais “espremer” cada cêntimo até ao fim para que uma família normal consiga sobreviver com um único salário mínimo em casa, pois o que mais se vê, nos dias que correm, são casais, com um ou dois filhos, onde apenas um dos cônjuges está empregado.
Além disso, o desagrado perante a falta de reconhecimento do esforço empreendido pelos portugueses torna-se cada vez mais evidente, em particular através de cartas, petições e principalmente com manifestações. Temos o exemplo das manifestações feitas pelos médicos e enfermeiros em defesa do Sistema Nacional de Saúde. Há ainda outras organizadas por outros funcionários públicos, como os professores, que lutam para obter melhores condições de trabalho.
Por estas razões, os portugueses entraram numaespécie de estado em que assumem que quando é para a desgraça que seja”, temos no país um ambiente de pessimismo e a população mostra cada vez mais o seu descontentamento através de novas formas de expressão.

Texto escrito por mim numa oficina de escrita em português, o tema era a crise e a stora dáva-nos as indicações que pretendia, como por exemplo tópicos em relação aos argumentos e exemplos utilizado no texto. E nós tínhamos que estruturar um texto seguindo esses pontos de referência.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

News are coming!

HalloHallo!* 
Bem sei que estou sem escrever à quase 2 semanas, mas para ser sincera tenho andado com pouco tempo, o único texto que ia publicar neste tempo no fim quando o estava a reler achei-o um pouco pessoal demais, por esta razão decidi não postar, além disso tenho andado um pouco sem inspiração.
Mas pronto, whatever, decidi escrever este post porque vão começar a haver, de vez em quando, uns posts diferentes no blog, vou chamá-los de Post Surpresa, quando me referir a eles, quando publicar o primeiro vocês vão perceber o tipo de publicação que é.
Já estou a começar a trabalhar no primeiro Post Surpresa, mas ainda não sei quando vai ser publicado... Culpem os testes que começam para a semana!!! Mas será para breve.
Entretanto, o blog já tem o look natalício deste ano, espero que gostem! :)
Well... Por hoje é tudo!!

domingo, 1 de novembro de 2015

Bebedeiras


Bem, a noite passada tive a festa de Halloween da Comissão de Finalistas, adorei! 
Apesar de me terem abandonado ahah, juntei-me logo a outro grupo que era basicamente só raparigas mais novas do que eu e digamos que elas ainda estão assim naquela fase em que apanhar uma granda sarda é que é fixe, independentemente das figuras ridículas que possam fazer, que interessa isso? O que interessa é a diversão...
Não digo que não se possa apanhar uma sarda, mas, quanto a mim, é preciso saber apanhá-la, porque ao contrário do que alguns possam pensar, ficar bêbabo não é chegar a um ponto em que não temos noção do que fazemos tal e qual como também não precisamos de ficar nestes estados para nos divertirmos... Ok. Vocês agora vão dizer que estão a ter conversa de mamã, mas nada disso! Eu também gosto de beber, não digo que não, ainda ontem bebi, apenas nunca apanhei uma sarda ao ponto de perder o controlo sobre as minhas ações, aliás eu acho que nunca fiquei bêbada, yah com 18 anos nunca tive essa sensação de adrenalina, mas acho que isso se deve também um pouco ao facto de ter um pouco de tolerância em relação ao álcool, além disso eu tenho uma pequena noção do que aguento e nunca quis ultrapassar esse "risco", talvez um dia o faça... :P
Mas whatever. Ontem na festa eu vi raparigas de 14 anos completamente apanhadas, aquilo, sinceramente, não era nada! Houve lá 2 gajas que se puseram aos beijos ali no meio da rua e depois no fim, quando se juntaram ao grupo onde eu estava, uma delas estava "aflita" com o medo dos rapazes se lembrarem de tudo mais tarde e eu aí virei-me e disse "Achas mesmo que não se vão lembrar? Já vi gajas a ficar com fama de putas com muito menos!". Really, ás vezes, ou sou eu que não sou normal, ou então não sei, eu simplesmente não sou do estilo do "ai só nos divertirmos se apanharmos uma granda sarda", tipo... Que merda é esta pah? Que geração é esta? Será assim tão mau passar uma boa noite sem estarmos bêbados?
Vá-se lá entender o pessoal e as "crianças" de hoje em dia...

ღ Demi Lovato(The Ride MTV HD)


Como já disse, não sou Lovatic, mas gosto bastante de algumas músicas... E devo admitir que ela é uma grande inspiração para mim! Acho que nunca falei do quanto a história dela me ajudou, ela foi uma da pessoas que me fez ver que se lutarmos é possível vencermos! A sua história é simplesmente inspiradora!