sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Teste de Matemática, etc...

Hoje fiz teste de matemática, correu-me super mal, fiquei desolada... Afinal, fartei-me de estudar, resolver intermédios e outros exercícios, mas não me valeu de nada. A stora passou-se completamente, todos os colegas com quem falei, nenhum disse que tinha corrido bem, todos disseram que o teste tinha sido merda (sorry o termo). 
A stora tirou-me o teste da frente e eu comecei a chorar, se é estúpido? Maybe... Mas eu sou assim e o meu sistema nervoso faz-me disto, por muito que não queira chorar, não consigo...
Mas pronto, agora já passou... Tenho é que me focar em Físico-Química e como a minha explicadora me disse o próximo teste já vai conter mais exercícios de funções e como eu nessa matéria tenho menos dificuldades.
É verdade, entretanto fiz e recebi o teste de biologia, estava com o medo, pois o stor passou-se, como eu tinha faltado no dia do teste (estava doente :s), ele deu-me oportunidade a mim e a uma colega (que também tinha faltado) e pôs-nos um teste (de à dois anos atrás) á frente, tinha matéria que tinha-mos dado no próprio dia e nada de 10ºano, depois disse que ia distribuir a cotação daquelas perguntas pelas outras e nós ficámos mega irritadas... Tipo começamos a pensar e supostamente ia-mos ficar com questões de escolha múltipla a valer tipo 20 pontos, mas o stor acabou por dar apenas 10 pontos a cada pergunta e em vez do teste ficar com um total de 200 pontos ficou com um total de 160, no fim convertemos a cotação, tive 111/200, super feliz afinal tenho estado a subir a cada teste que passa.
Depois também fiz o teste de Inglês, até me correu bem, ainda não recebi, mas estou com um feeling positivo.

#16


quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

MELIX ❤

Achei lindo!!!! *-*



Este video não é de nenhum dos dois e já tem 5 meses, mas o Félix e a Marzia são dois dos meus youtubers favoritos e acho, simplesmente, que eles fazem tipo um casal perfeito!!! Ele é sueco e ela italiana, já venho os videos de ambos à bastante tempo e adoro quando eles se juntam para gravar juntos.
Melix 4ever!! 

sábado, 24 de janeiro de 2015

1 ano

Hey*
Bem, hoje é o dia mais importante para mim nos últimos 2 anos, faz hoje 1 ANO que não me corto!!
1 ano é o "ponto"  mais  importante da minha longa caminhada, 1 ano é muito tempo, dá para fazer muita coisa. Quando comecei esta luta, ao inicio, nunca pensei chegar tão longe, depois fui começando a acreditar que seria capaz e parece que fui mesmo!!
É muito difícil explicar  o que isto significa para mim, simplesmente não tenho palavras, nunca pensei chegar tão longe, conseguir tudo o que consegui num só ano, eu sei, parece impossível... Mas não é! É bastante possível, demorou, custou, chorei, gritei... Mas também me esforcei, também lutei. E isso é o que realmente interessa, nada mais importa. As lâminas, o sangue, a dor, a falta de confiança, o vicio, isso tudo faz parte de um passado que nunca mais vai voltar! E sabem porquê? Estou mais feliz que nunca, apaixonada, auto-confiante, livre de qualquer tipo de sofrimento, criei uma espécie de barreira invisível em meu redor que só é trespassada por energia positiva. Amar, rir, sorrir, aproveitar e curtir a vida ao máximo! É o que interessa, nada mais.
Sei que sou uma lutadora, que muita gente (infelizmente) não consegue fazer o que fiz, mas também não me posso esquecer de todas as pessoas que me ajudaram, a elas devo um grande OBRIGADA, obrigada esse que nunca vou conseguir "retribuir", por muito que digam que não é preciso, eu necessito de o fazer, apesar de nada ser suficiente para agradecer, não existem nem atitudes nem palavras suficientemente grandiosas para tal ato!
Sou uma pessoa renovada e cheia de vontade de viver. Quero viver a vida, curtir, perder a cabeça, enlouquecer... Fazer um pouco de tudo!! Quero mostrar ao mundo que nada é impossível, basta acreditarmos. Afinal já o meu avô em tempos dizia "Só a morte é que não tem solução" e é bem verdade.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

#15

O blog nasceu com o objetivo de ser uma espécie de diário, mas agora passado 1 ano e tal, quero começar a abrir novos horizontes, falar de temas diferentes e whatever... E como tal, hoje apeteceu-me mimar um pouco o meu público feminino :3*
(e masculino também, dependendo dos gostos de cada um xD)



quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

#14



"Uma mulher não se caracteriza pela sua aparência, ao fim de semana os meus amantes são a maquilhagem, o cabelo e a maneira peculiar de vestir, durante a semana sou apaixonada pela camuflagem, a mochila aconchega-me as costas e abraço a arma como se fosse um ser com coração! Deixo os meus fies saltos altos, mas sou fã da traição de calçado, vivo uma paixão intensa com aquelas fortes e duras botas pretas que em dias frios tanto me fazem sofrer. Enfim, sou uma mulher com gostos opostos."


segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Primeira visita no lar

Bem, ontem fui passar a tarde com o meu avô ao lar. 
Vieram-me as lágrimas aos olhos, vê-lo ali parado com uma expressão tão triste e um olhar tão profundo, parte-me o coração... Quase que não fala, mas se lhe fizermos alguma pergunta ele responde-nos, eu sei que isto se deve em grande parte ao Alzheimer, pois a doença faz com que ele se esqueça de iniciar e desenvolver uma conversa com quem o rodeia. Mas o que me está mesmo a preocupar são as feridas que ele está a começar a criar, primeiro nas orelhas devido ao facto de dormir de lado sempre nas mesmas posições e agora (já com as orelhas curadas) nos calcanhares, sabemos que as raparigas do lar o vão  virando várias vezes durante a noite, mas mesmo assim, ao dormir grande parte de tempo de barriga para cima, pois não tem forças para mudar de posição, os calcanhares roçam na cama e como ele tem a pela muito sensível, acaba por criar feridas. Bem isto é o ponto mau da situação.
O ponto bom da situação é que, no lar, o meu avô está quentinho e o facto de não apanhar o frio que apanhada ao "deslocar-se" da carrinha do lar á porta de casa também ajuda um pouco (porque se ele neste momento apanhasse uma pneumonia, poderia ser o fim), continuando... É super respeitado, não só pelas pessoas que trabalham lá como também pelos outros pacientes, pois como sempre foi uma pessoa de bem e que sempre ajudou os outros, sempre foi muita acarinhado por todos e agora continua a sê-lo, toda a gente gosta dele! No lar, apesar de não ter gostado muito da expressão dele, sei que se acontecer alguma coisa é logo auxiliado por um enfermeiro, tal não podia acontecer em casa, mais uma coisa positiva.
Hoje também era para lá ir mas acabámos por não ir, já eram quase 17h e depois para regressar a casa com gelo na estrada tornava-se demasiado perigoso. Mas espero ir lá, novamente, na quarta-feira, no fim do apoio de inglês.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Direitos dos Animais

Printscreen de um dos diapositivos de um trabalho que fiz no 10º ano sobre o tema.
Ao longo dos últimos anos o maltrato, abandono e divertimento com o sofrimento de animais tem aumentado cada vez mais.
O facto é que devido à crise politica, pessoas que sempre tiveram animais domésticos vêem-se (algumas) obrigadas a abandoná-los, mas não se pode justificar o facto, pois, apesar da crise, existem canis municipais que acolhem os animais em circunstância alguma, muitas vezes, resgatam-nos já doentes, maltratados, será “cobardia” das pessoas que o fazem? É uma questão pertinente mas que pode ser respondida com uma simples resposta, “não”! 
Primeiro é necessário destacar que o abandono de animais resulta, em grande parte, da escolha do ser humano, e o maltrato dos animais resulta essencialmente da crueldade do ser humano. O mesmo acontece com o uso de animais como forma de divertimento/entretenimento, como as touradas, os circos, lutas de cães, em que os animais são mantidos enjaulados e acorrentados, muitas vezes, ficando dias sem comer (circo), segundo o Artigo 1º dos Direitos Humanos todo o animal tem direito á liberdade, o que torna de facto os circos moralmente incorretos. 
Relativamente às touradas e lutas de cães, o Artigo 13º dos Direitos dos Animais defende que todo o animal morto deve ser tratado com respeito. Apesar de, se as touradas não existissem,  já não existiriam touros. Quanto á experimentação animal o Artigo 8º dos Direitos dos Animais indica que a experimentação animal que implique sofrimento físico ou psicológico é incompatível com os direitos do animal, quer se trate de uma experiência médica, científica, comercial ou qualquer que seja a forma de experimentação.
Segundo Peter Singer, um vegetariano, defensor dos Direitos dos Animais e Tom Regan, outro defensor, todo o animal tem direito a afeto, alimento, bom trato e direito á vida, quer seja humano ou não humano.
Quando o Homem aprender  a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante”  - Albert Scheweitzer

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

#13



"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos."
-Charles Chaplin

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Um pouco (muito) de mim

Fotografada pelo meu pai no dia do meu Crisma, 17-11-2013.
Tenho 17 anos, nasci em Chur (Suíça) no dia 19 de Agosto de 1997 às 13:57, e sou Leão. Frequento o 11ºano no curso de Ciências e Tecnologias, o meu sonho é, desde pequenina, tornar-me pediatra, mas como as médias de acesso a medicina são muito elevadas, pondero entrar num curso de enfermagem. Adoro escrever, ler, fotografar, ouvir música (amo Bon Jovi!!!) e jogar futsal. Quando começo a ver uma boa série fico facilmente viciada.
Sempre que pedem para falar sobre mim tenho imensa dificuldade, pois não gosto muito de referir nem defeitos nem virtudes, prefiro que as pessoas tirem as suas próprias conclusões sobre mim. No entanto, há quem diga que sou inteligente e que podia ser melhor aluna se me esforçasse mais. As minhas disciplinas favoritas são Matemática, Inglês e Biologia, e aquela que menos gosto é Português (apesar de adorar escrever).
Não desisto do que quero e fico extremamente desiludida quando não alcanço um objetivo. Estou nas aulas de corpo, mas nem sempre de alma, mas gosto de participar e de tirar as minhas dúvidas. Antes dos testes, fico sempre extremamente nervosa, tenho sempre aquela sensação de que podia ter feito melhor. Antes das apresentações orais, também sinto um certo nervosismo, pois sempre fui um pouco tímida e falar perante um grupo de pessoas sempre foi algo em que tive alguma dificuldade. No que toca a fazer trabalhos de grupo não sou grande adepta, sou um pouco individualista e sempre que tenho oportunidade trabalho sozinha, pois gosto de ter controlo sobre tudo o que é feito e decidido. Por vezes tenho alguma dificuldade em aceitar opiniões de outras pessoas, mas procuro sempre tentar compreender as suas posições e arranjar solução, de modo a que toda a gente fique bem.
Odeio depender de outras pessoas. Adoro a minha família e tenho um carinho muito especial pelo meu avô. Tenho as minhas amigas, os meus amigos e se há coisa que adore é passar tempo com eles, apesar de nem sempre me ser possível. Há dias em que simplesmente não consigo parar de rir, e tudo por causa deles. Mas também sou uma pessoa que gosta de estar sozinha, e que às vezes se distancia de todos, independentemente do bem que me façam. Os meus amigos sabem que sou alguém em quem podem confiar, sou alguém que vai estar sempre lá nos bons e nos maus momentos. Gosto de provocar e sei sair das provocações quando o devo fazer. Não gosto que falem de mim nas minhas costas, e "indiretas" raramente me atingem. Quem convive comigo sabe que tenho momentos para tudo, tenho aqueles momentos onde podem brincar à vontade comigo, mas existem outros onde não suporto sequer que falem comigo. Sou complicadamente simples e racionalmente louca! Gosto de perder a cabeça, mas apenas quando é para fazer coisas boas...
Tenho uma dificuldade imensa em dizer o que sinto, em mostrar-me agradecida por tudo aquilo que tenho. Por isso faço questão que todos os que me rodeiam saberem que não é por não o dizer ou mostrar que não o sinto.  Não gosto quando me escondem alguma coisa, por mais insignificante que possa ser. Por vezes sou orgulhosa e não gosto de dar parte fraca, embora saiba distinguir quando o devo fazer e quando não devo. Digo quase sempre o que penso e sei escolher os momentos certos para o fazer, sou também muito direta e quando me irrito raramente consigo ficar calada. Sou de ideias fixas e poucas vezes me deixo influenciar. Em relação às minhas opiniões tento ser sempre assertiva e muito firme embora, por vezes, deixe de pensar racionalmente e deixe as minhas emoções interferir.

sábado, 3 de janeiro de 2015

Imaginar o meu avô no lar

Ontem à noite recebi a notícia de que o meu avô iria de forma permanente para o lar, fiquei de rastos, pois sei que se ele vai para lá eu perco-o no espaço de 1 ano.
Apesar de saber que é o melhor tanto para ele como para os meus padrinhos (que cuidam dele durante a noite), sei que o meu avô mesmo no estado em que está, não quer estar no lar, está demasiado ligado à casa dele. E por muito que me digam que ele vai ser bem tratado, que no lar vai poder ter outro tipo de cuidados que não é possível ter em casa dele, não consigo aceitar o facto de ele ser internado num lar, custa-me demasiado aceitar... Principalmente porque sinto que colocá-lo no lar é como se o estivéssemos a abandoná-lo lá (apesar de saber que não é verdade), o meu avô sempre foi uma pessoa que fez de tudo pelos seus e agora imaginá-lo "preso" num lar... Isso é demasiado mau.
Já me disseram que posso ir visitá-lo e tudo mais, epah eu sei que sim, mas vai ser diferente, muito diferente mesmo! Até porque também sei que sempre que eu o for visitar ele vai querer vir embora para casa.
Quem me dera poder voltar atrás no tempo, acabaria com tudo isto!

Beyoncé - Pretty Hurts

"Perfection is a disease of a nation"


Viciei nesta música *-*

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Pior passagem de ano de sempre

Sem a menor das dúvidas que foi a pior passagem de ano de sempre!!!
Bem, foi assim... O A. foi-me buscar a casa eram umas 23h e o meu pai deixou-me sair com a condição de estar em casa á meia-noite para passar aquele bocadinho com a minha família. Então fomos para o centro (lá na terra do meu avô), entretanto da parte da tarde um rapaz lá da terra tinha metido conversa comigo, basicamente queria-me comer, e epah o A. disse para eu alinhar e eu alinhei (no gozo como é obv), depois á noite fui ter com ele á cabana (um telheiro que há lá num parque, nós chamamos aquilo de cabana) e o A. foi atrás de mim (escondido). Deixei-me levar um pouco (não fizemos nada né...) e de um momento para o outro afastei-o e disse que estava a gozar, acabámos por ficar lá meia hora na conversa, expliquei-lhe que nunca me iria envolver com um rapaz assim de um momento para o outro e tal, pronto dei-lhe a conhecer um pouco de mim, do tipo, eu não sou dessas "gajas" que se metem com um "gajo" num minuto. Ele acabou por dizer que eu tinha razão em dizer que aquilo ia ser só de uma noite (ao menos foi sincero), mas ao mesmo tempo ia tentando dar-me a volta e eu continuei sem alinhar (óbvio), no fim disto tudo eu bazei, estava a ir para o centro quando começaram os foguetes, desatei a correr para casa com um frio de gelar (passei os últimos 10s de 2014 na estrada).
Quando cheguei (passavam 10 min) o meu pai estava passado, ainda lhe tentei explicar que me tinha distraído e que não tinha dado pelas horas (o que não é mentira) mas ainda foi pior, acabei por passar o resto da noite enfiada no quarto com a minha pirralha, porque a miúda foi uma querida e não me quis deixar sozinha (porque eu também fazia parte da família e não podia estar ali a chorar).
E, pronto foi isto que aconteceu, sinceramente acho que o meu pai exagerou, mas whatever, acabei mal 2014 e comecei mal 2015, mas talvez me corra bem o ano.

Feliz Ano Novo para todos! :)