quarta-feira, 30 de julho de 2014

Não se esquece...

Por muito que queiramos nunca iremos conseguir esquecer o que nos aconteceu no passado,  quer seja bom quer seja mau, está tudo gravado na nossa memória.
De facto não podemos controlar a nossa memória,  mas podemos controlar se queremos ou não que essas coisas nos afetem ou será que não?  Penso que seja uma questão que tenha duas possíveis respostas,  dependendo do tipo de pessoa que a coloque as respostas vão ser bastante diferentes.
Se me perguntassem isto à 1 ano atrás, a minha resposta seria logo que não.  Não não é possível controlar as memórias que nos afetam.
Agora se me perguntassem eu diria que sim, sim é possivel. Acho que só nos devemos deixar afectar pelas coisas boas do passado,  óbvio que não podemos esquecer de todo as más,  afinal são essas que nos dão experiência e que nos fazem crescer.  A verdade é que não nos devemos deixar afetar pelas experiências mais negativas da vida, muitas delas fazem parte do passado, e como digo muita vez, o passado deve ficar no passado, dele devemos apenas retirar as coisas positivas, pois as negativas servem de lições que nos permitem crescer com mais maturidade.  Talvez me esteja a repetir, sinceramente às vezes perco a noção do número de vezes que digo uma coisa,  mas whatever,  desde que seja algo que não nos deixe "mal" acho que nunca é demais.
Quer queiramos quer não por muito que mudemos o nosso "eu" nunca vamos conseguir apagar o que de mau fizemos antes. Não falo tanto no que de bom houve, porque isso nós nunca devemos querer esquecer, eu pelo menos penso assim...

Conselho

Houve uma rapariga que me mandou um email a pedir ajuda, e diz isto:
"oi, queria pedir-te um conselho, se calhar tu nao tens tempo para me aturar, mas mesmo assim, nao custa tentar.e assim, eu desde sempre que sou gozada por toda a gente devido ao facto de nao ter aquilo que esta na moda e tambem devido ao mesmo estilo (de vestir) entao a pouco tempo comecei-me a cortar, sempre disse que nao o iria fazer, mas a verdade e que o fiz. numa semana e a terceira vez que me corto, li o teu blog desde o inicio e fiquei a admirar-te muito, pela tua força, pela tua luta, sei la, por tudo. por isso queria que me disse-ses alguma maneira de nao me voltar a cortar, pq como tu disseste isto torna-se num vicio e eu nao queria entrar nele, infelizmente dei o primeiro passo para entrar, que foi cortar-me a primeira vez. que achas que eu possa fazer? e que ja me apercebi que isto se torna mesmo num vicio, qualquer coisa fico logo com vontade de o fazer. obrigada se responderes. beijinhos"
Vais ser apelidada aqui como "someone", depois, eu nunca negaria dar um conselho a alguém que precisa-se, digo uma vez mais, podem-me escrever sempre que quiserem ou precisarem, agradeço também a tua admiração "por mim", mas ainda tenho um longo caminho para percorrer.
Continuando... Someone, independentemente do teu estilo não deves ligar ao que os outros dizem, deves fazer um esforço para os ignorar, eu sei que é dificil, mas não te podes mostrar afectada pelo que eles dizem, cada um é como é, muitas vezes somos obrigados a ter o estilo que temos porque ou não temos possibilidade económica ou não temos corpo para ter outro diferente, eu não sei se és rica ou pobre, se és gorda ou magra, por isso, independentemente dos outros, ama-te como és, confia em ti própria, considera aqueles que gozam como sendo fãs revoltados, acredita já é uma ajuda. Quanto á auto-mutilação, certamente tens alguma amiga ou amigo em quem possas confiar, desabafa com ela/ele, não quer dizer que lhe fales nos cortes, mas, acredita, falar com alguém ajuda a ficarmos mais aliviados. Tenta descobrir "técnicas" que te acalmem quando fores para pegar nalguma lâmina, tipo respirar bem fundo várias vezes, contar até 10, não sei, isso comigo resultou, mas cada pessoa é uma pessoa, aquilo que resulta comigo pode não resultar contigo. Olha outra coisa que a mim também me ajudou, apoiar-me na música, a música acalma e muitas vezes alegra-nos... Tenta fazer isso que te disse e se vires que não está a resultar, só tu te conheces melhor do que ninguém, procura encontrar técnicas que façam esquecer a lâmina. Ainda vais a tempo de fugir desse caminho, ainda por cima pareces não querer mesmo entrar nele.
Não sei se te ajudei, por vezes quando não conhecemos as pessoas torna-se um pouco dificil de dar-lhes conselhos, especialmente quando se trata de arranjar técnicas para fugir ao vicio da auto-mutilação, como disse á pouco, o que resultou comigo pode não resultar contigo... Bem boa sorte para o futuro e espero novidades. Já sabes quando precisares podes-me escrever, estou aqui para ajudar. Beijocas


Quando ao resto do pessoal, eu publiquei aqui isto porque, infelizmente há muita gente com este tipo de problemas, apesar de não conseguir dar soluções específicas para o problema, posso sempre dizer o que resultou comigo, talvez resulte com os outros, nunca se sabe.

Já sabem podem-me escrever sempre que quiserem, só não ajudo se não puder.
Kisses!*

terça-feira, 29 de julho de 2014

Confiança

Hey!
É o seguinte, hoje estive a falar com uma pessoa, o Sr. A., não é a primeira vez que falamos, mas hoje a conversa foi diferente, contei-lhe aquilo que fazia até á 6 meses atrás, não sei bem porquê, mas desde que comecei a falar mais com ele, que tenho a sensação em que posso confiar nele, talvez pela maneira dele de falar, I don't know... Bem a verdade é que isso podia ser um engano, mas felizmente, eu sempre tive "jeito" para me aperceber do tipo de pessoa com quem estou a lidar, e ás vezes nem preciso de falar com ela, basta o olhar. (Por exemplo, a C. (minha ex-melhor amiga), ela andava "metida" com uma pessoa, eu nunca lhe tinha dirigido palavra, nem nunca dirigi ou espero dirigir, mas whatever, e só pelo estilo e pela maneira como a C. falava que essa pessoa era, eu apercebi-me logo que de certeza que ela não era "grande peça" e avisei-a, ainda discutimos por causa disso, mas ela só percebeu que eu realmente tinha razão quando foi lixada por ela. Isto é um simples exemplo, mas podia dar muitos mais, mas vocês não têm o dia ou a noite toda, lol)
Well, as I was saying, desde que comecei a falar mais com o Sr. A que tive essa impressão, sinceramente nem sei explicar, ele no fim de tudo também disse que ficou impressionado com a maneira como falei com ele, também me disse que por acaso ele no que toca a manter o sigilo e assim pode-se confiar, mas que podia não ser assim e para eu não contar isto a muita gente. Mas epah acho que foi a primeira vez que isto me aconteceu, praticamente, assim do nada, começar a falar do que se passou daqueles tempos, óbvio que não contei tudo o que desencadeou a auto-mutilação, aliás eu nem aqui conto, acho que há coisas que devo guardar única e exclusivamente para mim independentemente da confiança que tenha com a pessoa, felizmente sou daquele tipo que consegue "ler" as pessoas, muito raramente me engano, já a minha mãe é igual.
Mesmo assim, mesmo que me enganasse em relação ao Sr. A., tudo o que lhe contei mais ninguém ouviu, ou seja, mesmo que ele fosse falar alguma coisa daquilo, eu podia sempre negar e nesse caso era a minha palavra contra a dele.
Acho que pessoas como eu, que consigam aperceber-se do tipo de gente com quem lida, penso que seja um pouco mais fácil saber em quem confiar, tenho o caso de uma rapariga, ela dizia que eu podia confiar nela com todas as certezas e mais algumas, mas lá está, falava-lhe bem e tal, mas nunca tive aquela impressão que podia, ela dizia mas nunca transmitiu tal coisa, como se costuma dizer, "nunca fui com a cara dela", e realmente não me enganei, ela não era mesmo de confiança.
Entretanto, julgo que pessoas que não tenham esta, não sei se possa chamar a isto intuição, mas whatever, pessoas que não tenham esta intuição devem ter mais cuidado, por vezes pode parecer de confiança mas á mínima oportunidade dão uma facada nas costas... 
Mas pronto, acho que quer tenham quer não tenham esta intuição devem sempre ter cuidado, antes de contar algo que nos comprometa, começar a contar coisinhas que não tenham assim tanta importância quanto isso, penso que deve ser um cuidado que todos devemos ter. Eu faço isso, ás vezes... Para ser sincera, faço isso quase sempre, acho que aquilo que aconteceu hoje, ter tipo um momento de "espontaneidade", que nunca me lembro de alguma vez ter tido.
Resumindo e concluindo, devemos ter sempre cuidado com o que dizemos e ás pessoas a quem dizemos, quer se tenha muita ou pouco confiança há cenas que devemos, SEMPRE, guardar para nós próprios.
Bye

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Adeus Suíça...

Olá!!
Apesar de estar bem, hoje é um dia triste para mim, o dia da despedida... Estou neste preciso momento a caminho de Portugal. Quer dizer, é triste por um lado, é bom por outro... É triste porque para o ano já não vou viver para a mesma casa, não é por isso que é triste, mas sim pelo facto de ir deixar aquele ambiente, porque apesar de ficar na mesma em Schlieren, vou deixar de ser vizinha de um grande amigo meu, o J., apesar de ele ser muito mais velho que eu, já o conheço desde de sempre, ele é quase como um pai para mim, com ele posso contar para tudo, e apesar de eu o chatear imenso, acreditem, chateava-o mesmo muito, para o ano isso já não vai acontecer. Ces't la vie, agora para o ano só o vou poder chatear nas visitas... Mas já não vai ser a mesma coisa. Por outro lado é bom, pois estou a morrer de saudades do meu avô, da minha pirralha e de algumas pessoas mais.
Na despedida este ano vieram-me as lágrimas aos olhos e reparei que ao J. também vieram, afinal foi o último ano que estivemos todos juntos, diariamente. Desde que vivia ali, nunca tive uma despedida tão díficil, acho que o facto de ter em mente que para o ano já ia ser diferente, que íamos estar separados também não ajudou...
Bem, agora é cabeça erguida e seguir para Portugal.
Kisses e até á próxima! 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

6 meses

Olá!
Hoje é um dia importante para mim, faz hoje exatamente 6 MESES que não me corto, para algumas pessoas pode não significar nada mas para mim significa, e muito!!
6 meses é um marco muito importante para mim, quer dizer que há meio ano que não me corto, significa que a cada dia que passa vou "aumentando" a minha força interior.
É dificil para mim explicar propriamente o que este marco significa, mas talvez isso signifique que eu estou mais matura, mais experiente e que agora sim, agora chegou o momento para me dedicar inteiramente á minha felicidade... Há muito que trabalho nisso, mas agora vou dedicar o resto do verão a ser feliz.
Com tudo o que já passei, acho que posso aconselhar algumas pessoas, especialmente aquelas que se cortam... Auto-mutilação não é solução para os problemas que temos no dia-a-dia, não é o facto de nos cortar-nos que nos vai ajudar a arranjar respostas, muitas vezes a lâmina é só um refugio de quando perdemos a confiança nas pessoas que nos rodeiam, mas principalmente de quando perdemos a confiança em nós próprios. Acho que termos confiança em nós é bem mais importante do que confiarmos nos outros, é claro que para conseguirmos sair desse "mundo" que é a auto-mutilação precisamos de aprender não só a confiar em nós, mas sim também nos outros, pois sozinhos não conseguimos largar a lâmina. Precisamos de muita força de vontade e também saber em quem confiar, acho que descobrimos isso á medida que crescemos, e eu que o diga...
Algumas das pessoas que pensei que me fossem ajudar foram as que se afastaram mais, e aquelas de quem eu menos esperava foram as que se dispuseram logo a ajudar, como por exemplo o P., nunca pensei que ele me fosse ajudar tanto, acho que só quando começamos a falar mais percebi no quão eu podia confiar nele; o Z, ele dizia-me eu podia confiar nele mas eu nunca acreditei, só quando ele descobriu que eu me cortava, comecei a falar mais com ele, e aí é que comecei a acreditar que podia confiar... A S. e a F., sempre tive uma ideia de que podia confia nelas mas nunca foi aquela confiança, só quando elas souberam o que se passava é que tive a certeza que elas eram mesmo de confiança. A C., que eu considerava ser a minha m.a, pensava que podia confiar nela, e poder podia, mas quando mais precisei, que foi quando comecei a aprofundar os cortes, ela não estava lá, será ironia?
Whatever, isto tudo da confiança, para dizer que se quiserem mesmo lagar o vicio da lâmina, vão ter que aprender pouco a pouco a confiar nos outros e acima de tudo confiar em vós próprios e ter muita força de vontade para pararem.
Sozinhos não conseguem, eu tentei durante muito tempo e só consegui quando comecei a confiar nos outros e em mim própria.
Obrigada a quem leu e já sabem, se precisarem de alguém para falar escrevam-me. :)

domingo, 13 de julho de 2014

Pais...

Vocês não odeiam quando os vossos pais insistem em continuar a tratar-vos como se tivessem 5 anos?
É hoje os meus pais estão nessa onda, "(A Rapariga) faz isto, faz aquilo, não faças isso ou aquilo" aaaaaaahhhh que cena, odeio isso. Ok que ajudar não faz mal a ninguém mas possa também não é preciso exagerar, agora só porque ontem, quando fui sair com o pessoal, cheguei a casa 10 min depois da hora hoje já não posso sair de casa, acham normal?
A sério tenho quase 17 anos e, ás vezes, ainda me tratam como se ainda tivesse 5. É isso e, ás vezes, estarem sempre a mandar-me bocas, quando não quero sair com eles ou assim, "pois, passas a vida agarrada a isso e depois não há des estar gorda" epah eu qualquer dia passo-me com isso, yah estou gorda e daí? Quer dizer passei 5 meses a aprender pouco a pouco a gostar de mim, para agora continuar a ouvir estas bocas né....
Mas pronto, ás vezes ainda fico assim um pouco irritada quando eles dizem algo do género, mas vá, whatever, é continuar a ignorar até um dia me passar com isso e dizer tudo o que acho e não acho...
Pronto não interessa, foi um desabafo... Agora vou continuar a curtir a tarde, pois apesar de não poder sair, ainda tenho o pc para navegar na net!!!
Até ao próximo post eeee.... HAVE A NICE DAY!!!! ;D

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Chumbar de ano...

Olá!
Bem é verdade eu chumbei o 11º ano. 
O ano que passou correu-me mal em todos os aspetos, e eu tive que me focar em algo, no 2º período comecei-me a focar mais em mim, tentar parar de me cortar e isso tudo... Acabei por deixar a escola para trás e se me perguntarem se me arrependo... Epah por um lado sim, por outro não. Pois apesar de ter perdido o ano, estou mais feliz agora do que antes, estou mais segura de mim, mais auto-confiante etc etc...
Agora no próximo ano, como estou a iniciar uma nova fase da minha vida vou tentar dedicar-me 100% ao estudo. Dar o meu melhor e não desistir ao primeiro obstáculo! 
Sabem eu já passei por mais do que aquilo que conto, mas agora whatever, essas situações serviram para eu ganhar mais experiência e maturidade, o passado deve ficar no passado, dele devemos retirar essencialmente as coisas boas, o resto serviu como lições de vida.
Por causa de coisas que me começaram a acontecer antes, eu no 9º ano comecei a seguir alguns caminhos que pronto apesar de aliviar só faziam sofrer ainda mais, you know that...
Felizmente, consegui começar a tentar mudar as coisas, seguir outro rumo, claro que tive ajuda de algumas pessoas, mas força de vontade não me faltou, como sabem.
Foquei-me em mim e mandei a escola "ir dar uma volta", só me estava a magoar, e tive que fazer uma escolha, ou eu ou a escola, o facto de perder o ano não é o fim do mundo. O ano posso repeti-lo, a vida... Só vivemos uma vez, por isso.
Neste momento estou a seguir outro rumo, um rumo que faz de mim uma pessoa mais feliz, mais auto-confiante, mais desinibida... 
Que interessava passar de ano se ia continuar a cortar-me e a sofrer? Ao menos assim, apesar de ter chumbado, vou repetir o ano de uma maneira mais feliz, este ano já passou, não fui aos exames nem nada, mas para o ano há mais, por agora vou aproveitar o resto das férias e curtir a vida.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Um novo rumo

Olá!
Eu sei que passei muito tempo sem vir ao blog e sem escrever aqui, mas valeu a pena. Os últimos 5 meses foram de muita luta, parar de me cortar, aprender a gostar de mim como sou, aprender a ignorar as bocas estúpidas de algumas pessoas... Enfim, custou, mas consegui! 
Consegui começar a gostar de mim, independentemente de ser gorda, não é a minha estatura física que me define, mas sim o meu carácter. Aprendi a ignorar as bocas que me mandavam, agora percebi que afinal essas palavras não passam de um simples "zumbido" e que apesar de parecer importante não é, eu era mesmo parva ao ligar a essas coisas, tipo as pessoas que mandam essas bocas só o fazem para se sentirem melhor com elas próprias, pois elas não têm uma vida suficientemente boa para as fazer feliz, desse modo precisam de rebaixar os outros para serem felizes.
Talvez parar de me cortar tenha sido o mais difícil de tudo, pois passei quase 2 anos e meio a cortar-me por coisas de nada mesmo, apesar de na altura essas coisinhas que me faziam recorrer aos cortes pareceram a pior coisa do mundo, mas que hoje eu acho que não têm a mínima importância. Chegou a uma altura que cortar-me se tinha tornado num vicio pois sempre que me sentia mal cortava-me para me "aliviar", sempre que me irritava cortava-me, praticamente cortava-me por tudo e por nada... Tive que aprender truques para me controlar, demorei algum tempo a aprender esses truques, pois no primeiro mês ainda ia buscar uma lâmina quando me irritava ou assim, mas nunca me cheguei a cortar nesse tempo, tinha que ser mais forte e consegui, a partir do segundo mês deixei de pegar numa única lâmina. No dia 24 de Junho fez 5 meses que não me corto, é uma meta muito importante para mim, pois faz-me acreditar que, afinal, não sou tão fraca quanto julgava ser.
É óbvio que ao longo destes meses tive ajuda de algumas pessoas, o Z., o A., a F., a S. e um outro amigo meu, o P., foram as pessoas que mais me ajudaram e estou-lhes muito grata por isso, é claro que força de vontade não me faltou, mas se não fossem eles, eu sozinha não era capaz de me tornar na pessoa que sou hoje, alguém é mais feliz.
Tudo pelo que passei é passado. E o passado dever ficar no passado e dele devemos retirar essencialmente as coisas boas, pois são elas que nos fazem viver, são elas que nos fazem felizes... O resto são apenas lições de vida que nos fazem crescer.
Agora sou uma pessoa "renovada", por isso acho que tanto a descrição como o titulo do blog "Sozinha no Mundo" já não combinam comigo nem o nome sequer ("Alone") ou o link. Daí o novo titulo "Uma Rapariga no Mundo", o novo nome ("A Rapariga"), a nova descrição mais "positiva" e claro o novo link. O novo look do blog também tem a ver com o facto de ser outra pessoa, acho que aquele rosa era muito "triste" daí as novas cores.
Bem, o post já está demasiado longo, se calhar nem metade das pessoas o leu todo, mas whatever, obrigada a quem leu!!!!